Subscribe Twitter Facebook

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

É pra frente que se olha

Oi minhas amoras! como estão?

Antes de tudo quero pedir miiiiiiiil desculpas por ficar esses dias sem postar no blog, é que eu fiquei sem internet, minhas aulas voltaram (socorro) entre outras coisas...não me esqueci de vocês e agradeço pelos 1.000 views nesse 1 mês de blog, vocês são umas fofas!

Esse post não vai ser bem um post acerca do tema geral do blog, apesar que talvez possa ajudá-las a refletir um pouco mais no nosso "eu" e no nosso futuro.

Bem, durante esses dias que fiquei sem dar um alô por aqui aconteceram algumas coisinhas que me deixaram super baixo astral, fiquei triste, chorei muito, briguei, etc. Minha vida ultimamente tem sido bem difícil, to chegando na reta final da faculdade (isso me deixa aliviada e nervosa ao mesmo tempo), fico pensando em milhares de possíveis temas e formatos para o meu tcc, e pra variar eu to sem estágio...e sem 300 horas obrigatórias de estágio (obrigada mec e mackenzie) eu simplesmente não me formo, simples assim. O estágio que eu fiz na faculdade não vale como horas, mais uma vez obrigadaaaaaaaaaaaa! Aliás um conselho: não faça jornalismo uhauihaaia..é um mercado ultra ingrato, e tá ultra saturado, mas se quiser dê a cara a tapa e seja feliz... =)

Eu já imaginava que eu teria um período bad, porque até semana passada estava tuuuuuuuudo às mil maravilhas, e na minha vida caras leitoras, se tem um período de muita good vibe, pode se preparar que depois lá vem bomba. E veio mesmo.

Apesar de tudo, esses "pequenos" problemas me fizeram refletir e pensar acerca do meu futuro, no meu futuro profissional, no meu futuro pessoal/amoroso. Sei que terei muito mais perrengues pra enfrentar e "se virar nos 30". 

Daqui 1 ano estarei na fase final do meu tcc, serei oficialmente jornalista e não sei o que esperar do futuro no geral. Sempre fui extremamente organizada nas minhas coisas, sempre estabeleci prazos para concluir minhas metas. Claro que as vezes não tem como, pois tudo na vida há imprevistos. Comecei então a pensar e tentar planejar ainda mais, ser jornalista não é fácil, não tem nada de glamour e nem sempre vamos trabalhar na área que queremos...as vezes nem chegamos a exercer a profissão de imediato pois o mercado tá sobrecarregado e agora a maioria das empresas pedem conhecimentos de coisas extra-curso. Estou entrando aos poucos na fase adulta e com isso, pensar na minha vida fora da "asa" dos meus pais. Por ser filha única desde pequena aprendi a ser independente e resolver grande parte dos meus problemas sozinha, isso eu conto como um ponto positivo, mas por vezes deixo de compartilhar coisas com a minha mãe por exemplo, por ter sempre em mente que eu vou e posso resolver sozinha, isso acaba por nos deixarmos um pouco "distantes" do cotidiano uma da outra, eu e minha mãe mal conversamos sobre essas coisas, não só com ela mas também com meus amigos mais próximos. 

E então eis que entra também a minha vida amorosa. O meu namorado quer se casar após a graduação. No primeiro semestre de 2016 eu já me formo e ele 1 semestre depois (ele faz economia), ou seja...isso tá praticamente 'em cima'. Mas também pensamos em curtir um pouco a vida de namorados e depois então casar. Aos poucos vai caindo a ficha que eu estou a pequenos passos formando a minha própria vida e isso me deixa em um mix de medo e também de ansiedade pelo futuro, mas deixo o tempo fazer a parte dele. Olhando ainda maaaaaaaaaaaaais pra frente, não sabemos onde iremos morar, na verdade não decidimos este detalhe, porém já planejamos fazer testes de adaptação. Ok, digamos que eu vá morar em Argel ou Sétif. Eu não sei muita coisa de árabe ou francês. O Yusuf não vai ficar 24h ao meu dispor. Vou ter que me virar como sempre fiz, dessa vez com um toque a mais: longe da minha realidade, em um mundo novo, pessoas novas, modo de vida novo. Vou virar um bebê e terei que aprender tudo novamente, até como dar um bom dia. Do que irei trabalhar? Se no BR e difícil algo na minha área, imagine fora do BR? Terei que ter um plano B. Ok, agora digamos que vamos viver aqui. O mesmo acontecerá com o Yusuf. Viver em um mundo novo, com pouco conhecimento no idioma, sem uma rede de amigos e sem familiares.Viver não é fácil amoras e ter pelo menos um planejamento básico é algo inevitável quando se tem duas pessoas de dois países diferentes em questão. Nessa história alguém vai ter que abrir mão de diversas coisas.

Apesar dessas coisas tenho muitas expectativas acerca do amanhã, porém com os pés no chão. Sempre fui muito decidida naquilo que eu quero, eu digo que faço e eu realmente vou lá e faço, mesmo que isso possa levar dias, meses ou anos, eu não deixo que os medos tomem conta de mim 100%, até porque se deixarmos, simplesmente não vivemos. Encaro a vida e os desafios e deles sempre tiro uma lição que levo para a vida toda. 

Para muitos sou uma louca por me relacionar com um estrangeiro e de quebra árabe com um toque turco, porque na cabeça deles "serei mulher de terrorista". Eu nem perco meu tempo com esse tipo de gente, até porque se eu ligasse nós nem namoraríamos. Claro que tem alguns assim, mas perto do número total de árabes no mundo isso é uma minoria. E acredito que em 2 anos de relacionamento quase, eu já teria notado algo suspeito, e eu não notei....na verdade nunca tive nenhum tipo de desconfiança do Yusuf, e isso não significa que eu fiquei cega e deixei de lado meu sexto sentido, quem me conhece sabe que eu sou muito sensível nesse aspecto e capto muito fácil qualquer tipo de atitude suspeita oriunda de qualquer pessoa.

Estou super focada no meu futuro em todos os sentidos, é ele que ainda vou viver, e acredito que se chegamos até onde chegamos, passamos por diversas coisas juntos e estamos há alguns passos de concretizarmos nossa primeira meta (o nosso finalmente primeiro encontro), e planejarmos uma vida juntos é porque Deus permitiu. Vou seguir o caminho que o destino trilhou independente das críticas alheias, pessoas corneteiras sempre vão existir, e eu apenas abstraio. O apoio da minha família, do meu namorado e dos meus amigos verdadeiros é tudo que eu preciso. No ano de vestibular (isso em 2012) fiquei por muito tempo ouvindo de diversas pessoas que eu jamais iria conseguir entrar em um bom curso em uma boa universidade, e eu fui lá e consegui. Posteriormente que eu desistiria do curso pois não "tinha perfil para ser jornalista", oras estou quase concluindo o curso e apesar de tudo amo o que faço. Agora, "relacionamento virtual não tem futuro"... ué, estamos juntos a quase dois anos. Aliás, quer uma chuva de exemplos de habibas que derão super certo?! Pois é, pessoas para atazanar a nossa vida eventualmente aparecerão! Sai de mim! 

Agradeço imensamente à Deus por todas as oportunidades e pessoas maravilhosas (inclui-se o meu habibi) que apareceram na minha vida, e também agradeço pelas dificuldades, pois sem elas talvez eu não saberia lidar com essas situações, e através delas me tornei mais madura, e futuramente quero ser ainda mais do que hoje. 

Estamos juntos nessa, confiamos um no outro e quero ele perto de mim e também sei que ele deseja a mesma coisa. Não vamos nos deixar influenciar por energias e palavras negativas e vamos em busca da nossa felicidade. Together as one.



   
ps. amanhã já faço um post novo de cantores argelinos
beijocas

4 comentários:

Leticya Gontijo disse...

Oi Juh,
também estou de volta e mais ou menos na mesma situação que a sua... entendo que as aulas revocam todas as 'criatividades' que as férias nos oferecem ;)

Gostei bastante de ler o seu texto e me identifiquei ainda mais, porque acredito que em um relacionamento como que nós mantemos planejamento é essencial. Você está certa habiba, corra atrás de seus sonhos e escute somente seu coração, seja aqui ou na Argélia, jornalista ou não tenho certeza que você sera muito feliz com seu habibi!

beijão e vamos que vamos ;*

Juliana disse...

Oi querida! Ah saudades férias! uihahiuauhauiha, a volta às aulas suga toda a minha reserva de energia :(

Fico feliz por ter-lhe "acolhido" nesse texto e por ver que não é só eu que tenho a mesma linha de raciocínio, porque até no amor é necessário planejamento. Tenho certeza que o futuro reserva coisas boas para todas nós! perseverança é a palavra!!! Obrigada pelo apoio ♥♥♥♥
bjocasssssssss ♥

Anônimo disse...

ESTOU ME RELACIONANDO COM ARGELINO E O QUE MAIS ENCONTRO É GENTE QUE ACHA QUE ESTOU PRESTES A ME CASAR COM UM HOMEM BOMBA!! ENCONTREI NO SEU BLOG UM OASIS! OBRIGADA!

Juliana disse...

Oi flor! Obrigada pelo carinho!

Olha, o que você vai mais encontrar por aí são comentários desse tipo, uma hora você nem liga mais, sempre vai ter gente querendo botar bedelho, tem que saber lidar.

Beijocas e bem vinda ao blog! <3

Postar um comentário

Atenção: Comentários islamofóbicos, antiárabes, antissemitas e que ofendam uma etnia, nacionalidade ou religião/crença não serão aceitos nem tolerados.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Powered by Blogger