Subscribe Twitter Facebook

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

A religião no nosso dia a dia




Shalom, Salam florzinhas! Comecei o post de hoje com duas palavrinhas que tem o mesmo significado, são parecidas, e são de idiomas pertencentes ao mesmo grupo linguístico. Bem hoje vou falar um pouco (porque isso é um tema complexo e extenso) sobre a religião, no caso como é a presença da religião no nosso dia a dia. 

Meu habibi é muçulmano (dã Juliana) e eu sou judia (agora todos silenciam), mas ele é praticante e eu não. Na verdade eu pratico quando é época das festividades judaicas, como por exemplo no Pessach (que muitos chamam de "páscoa" judaica e que na verdade não é nada de páscoa, pessach significa passagem), nessa festividade fico 7 dias sem comer coisas com fermento para lembrar do sofrimento do povo judeu durante o êxodo no Egito. Eu celebro o Rosh Hashaná (ano novo judaico), pra mim é uma data muito especial, faço jejum do Yom Kippur (dia do perdão, onde fazemos um jejum completo de água e de comida por cerca de 25 horas, para nos livrarmos dos pecados e sermos inscritos no livro da vida), entre outras festividades, pois é um momento mais família. Apesar de tudo não me considero praticante pois não descanso no shabat (inicia-se na noite de sexta e termina na noite de sábado. Em Israel as coisas não funcionam durante esse período, pelo menos a maior parte delas), não faço rezas diárias, na verdade eu mal rezo, mas sempre que posso peço para um amigo que mora em Jerusalém deixar um bilhetinho (que eu escrevo) no Kotel (o muro das lamentações), e também não frequento sinagogas (nem vou falar a ultima vez que eu fui), então por esses motivos em especial eu não me considero uma pessoa religiosa praticante, eu vivo a minha religiosidade no meu dia a dia e não acredito que eu tenha que praticamente morar em um templo religioso para D'us olhar por mim, na minha visão, D'us se importa mais com as nossas ações para com o próximo. Até porque judeus tem 613 mitzvot (leis) para cumprir, algumas são para grupos específicos, mas ainda sim são muitas.  Agora que já falei um pouco de mim, vamos lá falar do meu namorado:

Totalmente o oposto. Ele é um muçulmano praticante, faz todas as orações do dia, faz ablução (o processo de lavagem para estar puro, e assim iniciar a oração), e claro as orações sempre voltadas para Meca.  Não come carne de porco (tá judeus também não comem), não bebe, não fuma, vai à mesquita, sexta-feira o dia sagrado, jejua no Ramadã, lê o Alcorão diariamente. E pra ele descobrir a minha religião foi uma grande surpresa, ele até perguntou umas mil vezes para garantir se eu era mesmo judia. Meus outros amigos muçulmanos também tiveram a mesma reação, eu até entendo porque por aquelas bandas a propaganda anti judeu é bem forte, e vou aproveitar a deixa pra esclarecer: os muçulmanos em sua grande maioria não é anti judeu no quesito religioso, e sim político, assim como os judeus na maioria são contra os partidos políticos e não contra o povo palestino, grande parte da população israelense é a favor de um Estado palestino, e eu também sempre fui e sempre serei a favor...em ambas as partes os que se odeiam pela religião mesmo é meia dúzia de ignorantes que a mídia dá o microfone. Os conflitos no Oriente Médio não são religiosos, e sim políticos! 

Agora como fica a religião no nosso dia a dia? A gente briga por causa de religião? Não. No começo a gente teve uma leve divergência quando o assunto entrou na política, e não pela religião. A gente se respeita muito e sempre procuramos entender um pouco mais da religião do outro, sempre estamos em equilíbrio e isso é um elemento chave quando você se relaciona com alguém que é aparentemente "diferente" de você no aspecto religioso. O Cristianismo, Judaísmo e Islamismo tem um patriarca comum que é Abraão, então temos muitos personagens de nossas religiões em comum. O Alcorão por exemplo trata muito a figura de Moisés, que é para o Islã um importante profeta, e Moisés para nós judeus é um personagem extremamente importante, pois através dele nosso povo fugiu do exílio. Jesus a maior figura para a religião cristã é também um profeta importante e respeitado no Islã, então essas 3 religiões meio que se "mesclam" nesse aspecto, então para mim a religião não é um impasse no nosso relacionamento e no nosso dia a dia, mesmo que eu fosse religiosa praticante.

Já presenciei o Yusuf no momento da reza e foi bem especial, vi como a religião é importante pra ele e para o modo de vida dele, eu não interfiro nem julgo, assim como ele não interfere e nem julga o meu modo religioso. Quando pegamos pra falar de religião ficamos horas, teve uma vez que ficamos 6 horas (sério), só falando de religião, eu explicando a Torah e ele o Alcorão, mandando rezas, trechos, etc. Para nós é bom, importante e informativo e ultra necessário. O que no começo, pelo menos para mim aparentava ser um obstáculo, hoje é apenas uma pequena diferença que dia a dia vai sendo "lapidada" entre nós dois. Tínhamos milhares de razões para sermos um contra o outro, mas o que existe em comum entre nós é bem maior. 

"As religiões são caminhos diferentes convergindo para o mesmo ponto. Que importância faz se seguimos por caminhos diferentes, desde que alcancemos o mesmo objetivo?" Gandhi

 Ps. vou deixar umas páginas do Facebook abaixo só para verem que não somos os únicos :) é só clicar:

Jews Love Muslims - Muslims Love Jews
Arabs and Jews refuse to be enemies
Judaism-Islam
Arabs and Jews
Palestine Loves Israel
Israel Loves Palestine

0 comentários:

Postar um comentário

Atenção: Comentários islamofóbicos, antiárabes, antissemitas e que ofendam uma etnia, nacionalidade ou religião/crença não serão aceitos nem tolerados.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
Powered by Blogger